DOWNLOADS

*campos obrigatórios

Para iniciar o download de material exclusivo, preencha com seus dados:

CONTATO

*campos obrigatórios

Entre em contato conosco e supere suas expectativas:

CONTRATE

*campos obrigatórios

Formulário:

Verifique a disponibilidade de agenda para contar com a presença de
Carlos Hilsdorf em seu evento.
Torne seu evento único!

Preencha o formulário ao lado.

+55 16 3374.3839

Rua Sete de Setembro, 1353, Centro
CEP: 12560-180 São Carlos - SP

Blog

Arquivo da tag: motivação

Palestrante Carlos Hilsdorf é indicado ao Prêmio Top of Mind de RH

Da Redação

O palestrante Carlos Hilsdorf está entre os 5 Palestrantes mais lembrados do Brasil e foi indicado ao Prêmio de Palestrante mais lembrado do país, na 18ª Edição do Prêmio Top Of Mind de RH.

“É com imensa gratidão que recebo a notícia de minha indicação ao Prêmio Top Of Mind de RH como um dos 5 Palestrantes mais lembrados do Brasil. Agradeço a todos pelo carinho e reconhecimento.” Carlos Hilsdorf

 

Palestrante Carlos Hilsdorf Top Of Mind de RH

Você é profissional de RH e ocupa cargo diretivo na sua empresa? Quer votar e não sabe como fazer? É simples, cadastre-se: http://topofmindderh.com.br/18top/cadastra.asp

 

Consertar o mundo

Olá amigos, aqui está uma breve e bastante conhecida história sobre como consertar o mundo. Espero que vocês gostem.

Um homem muito preocupado com os problemas do mundo passava dias em seu escritório, tentando encontrar meios de consertar o planeta.

Certo dia, seu filho de 7 anos entrou em seu escritório decidido a ajudá-lo.

consertar o mundo

O homem, nervoso pela interrupção, tentou fazer o filho brincar em outro lugar. Vendo que seria impossível removê-lo, procurou algo que pudesse distrair a criança. De repente, deparou-se com o mapa do mundo.

Estava ali o que procurava. Recortou o mapa em vários pedaços e, junto com um rolo de fita adesiva entregou ao filho dizendo:

- Você gosta de quebra-cabeça? Então vou lhe dar o mundo para consertar. Aqui está ele todo quebrado. Veja se consegue consertá-lo bem direitinho! Mas faça tudo sozinho!

Pelos seus cálculos, a criança levaria dias para recompor o mapa.

Passados alguns minutos, ouviu o filho chamando-o calmamente:

- Pai, consegui! Terminei tudo!

A princípio, o pai não deu crédito ao chamado do filho. Seria impossível uma criança de 7 anos conseguir recompor um mapa que jamais tinha visto.

Relutante, o homem levantou os olhos de suas anotações, certo de que veria um trabalho digno de uma criança. Para sua surpresa, o mapa estava completo. Todos os pedaços haviam sido colocados nos devidos lugares. Ficou boquiaberto. Pensou: como seria possível? Como o menino de 7 anos foi capaz de tal feito? E resolveu perguntar:

- Meu filho, você não sabia como era o mundo, como conseguiu montá-lo completamente?

E a criança respondeu:

- Pai, eu não sabia como era o mundo, mas quando você tirou o papel do jornal para recortar, eu vi que do outro lado havia a figura de um homem. Quando você me deu o mundo para consertar, eu tentei, mas não consegui.
Foi aí que me lembrei do homem, virei os recortes e comecei a consertar o homem do outro lado da folha, pois o homem eu sabia como era. Quando consegui consertar o homem, virei a folha e vi que havia consertado o mundo!

Moral da história: o primeiro passo para consertar o mundo é consertar os seres humanos. Só seres humanos melhores poderão fazer do mundo um lugar melhor.

Autor desconhecido

Um grande abraço a todos, do palestrante Carlos Hilsdorf.

A Inveja

Olá amigos! Que nunca sofreu com a inveja? A inveja é uma vontade frustrada de possuir os atributos ou qualidades de um outro ser, pois aquele que deseja tais virtudes é incapaz de alcançá-las. A quem sofre porque outras pessoas tem inveja de você, deixou este pequeno texto “Pedras e Frutos” de minha autoria, e uma breve fábula, bastante conhecida.

Pedras e frutos (por Carlos Hilsdorf)

”Não se atiram pedras em árvores sem fruto; toda tentativa de apedrejamento visa sempre derrubar os frutos.
Inocente ignorância dos apedrejadores, porque, mesmo conseguindo o feito, se esquecem de que os frutos caídos no chão experimentarão o tempo e a decomposição e voltarão a frutificar, de uma ou de outra maneira, pois cada semente dá origem à essência interior que carrega.
Já as pedras caídas no chão permanecerão pedras, e as mãos que as atiraram terminarão vazias, tão vazias quanto o coração e a alma que lhes ativaram o movimento.”

Palestrante Carlos Hilsdorf

E aqui, a fábula, de que falei:

A Inveja

Era uma vez uma cobra que começou a perseguir um vagalume que só vivia para brilhar.

Ele fugia rapidamente, com medo da cobra. Fugiu durante um dia e ela não desistia, dois dias e nada da cobra desistir.

No terceiro dia, já sem forças, o vagalume parou e disse à cobra:

- Posso lhe fazer uma pergunta?

- Não costumo abrir esse precedente para ninguém, mas já que vou te devorar mesmo, pode perguntar.

- Pertenço à sua cadeia alimentar?

- Não.

- Te fiz alguma coisa?

- Não.

- Então por que você quer me comer?

- PORQUE NÃO SUPORTO VER VOCÊ BRILHAR!

A qual grupo você pertence ?

fazer a diferença

Em uma importante universidade, um sábio professor, com grande dose de paciência, tentou começar a primeira aula do ano de sua nova turma, mas não conseguiu. Pediu silêncio educadamente várias vezes e não obteve sucesso. O professor, com voz firme, disse então:

“Queridos alunos, prestem atenção porque eu vou falar isso uma única vez. Desde que comecei a dar aula, há muitos anos, descobri que nós professores, trabalhamos apenas 5% dos alunos de uma turma. Em todos esses anos observei que de cada 100 alunos, apenas 5 são realmente aqueles que fazem alguma diferença no futuro; apenas 5 se tornam profissionais brilhantes e contribuem de forma significativa para melhorar a qualidade de vida das pessoas e do mundo. Os outros 95% servem apenas para fazer volume; não se dedicam, não se esforçam, não saem da zona de conforto, são acomodados, ficam na mediocridade… Passam pela vida sem deixar nada de útil.

O interessante é que esta porcentagem vale para todo mundo. Se prestarem atenção, notarão que de 100 professores, apenas 5 são aqueles que fazem a diferença; de 100 garçons, apenas 5 são excelentes; de 100 motoristas de táxi, apenas 5 são verdadeiros profissionais que amam o que fazem.

É uma pena muito grande não termos como separar estes 5% do restante, pois se isso fosse possível, eu deixaria apenas os alunos especiais nesta sala e colocaria os demais para fora, então teríamos o silêncio necessário para uma boa aula e eu dormiria tranquilo sabendo ter investido nos melhores.

Mas, infelizmente ainda não há como saber quais de vocês são estes alunos. Só o tempo será capaz de mostrar isso. Portanto, terei de me conformar e tentar dar uma aula para os alunos especiais, apesar da confusão que está sendo feita pelo restante.

Claro que cada um de vocês sempre pode escolher a qual grupo pertencerá: ao grupo que faz a diferença, ou ao grupo que passa pela vida sem deixar sua marca. Pensem bem. Ainda dá tempo de fazer parte do grupo certo, do grupo que faz a diferença. Obrigado pela atenção e vamos à aula”.

Esta simples história nos traz uma forte mensagem sobre a importância da dedicação, do comprometimento, do esforço-extra. Uma lição sobre sair da mediocridade, abandonar o comodismo e fazer as coisas realmente acontecerem. E você? A qual grupo você quer pertencer?

Um grande abraço a todos!

Carlos Hilsdorf

Metáfora do Carpinteiro

carpinteiro

Um carpinteiro estava para se aposentar. Ele contou a seu chefe os seus planos de parar com o serviço de carpintaria e  construção de casas e viver uma vida mais calma com sua família. Claro que ele sentiria falta do pagamento mensal, mas ele já estava com certa idade e queria descansar. O dono da empresa ficou triste em saber que perderia um de seus melhores empregados e pediu a ele que construísse uma última casa como um favor especial.

O carpinteiro concordou, mas era fácil ver que ele não estava entusiasmado com a ideia. Ele não se empenhou no serviço e utilizou matéria prima de qualidade inferior. Seus pensamentos e seu coração não estavam no trabalho. Foi uma maneira lamentável de encerrar sua carreira.

Quando o carpinteiro terminou seu trabalho, o construtor veio inspecionar a casa e entregou a chave da porta ao carpinteiro, dizendo.

- “Essa é a sua casa. Meu presente a você, que trabalhou tantos anos para mim.”

Que pena! Se ele soubesse que estava construindo sua própria casa, teria feito completamente diferente. Agora ele teria de morar numa casa feita de qualquer maneira, sem carinho, sem amor.

Muitas vezes, isso acontece conosco. Nós construímos nossas vidas de maneiras distraída, reagindo mais do que agindo, colocando menos quando deveríamos colocar o melhor. Nos assuntos importantes nós não empenhamos nosso melhor esforço. Então, em choque, nós olhamos para a situação que criamos e vemos que estamos morando na casa que construímos. Se soubéssemos disso, também teríamos feito diferente. Mas ainda há tempo…

Pense em você como o carpinteiro. Pense sobre sua casa. Cada dia você martela um prego novo, coloca uma armação ou levanta uma parede. Construa sabiamente. É a única vida que você construirá. Mesmo que você tenha somente mais um dia de vida, este dia merece ser vivido intensa e graciosamente, com dignidade. A vida é um projeto de você mesmo. Sua vida de hoje é o resultado de suas atitudes e escolhas feitas no passado. Suas atitudes e escolhas de hoje estão construindo a “casa” em que você vai morar amanhã. Construa com sabedoria! E lembre-se: Trabalhe como se não precisasse de dinheiro. Ame como se você nunca tivesse se magoado antes. O homem é livre, mas também é responsável por suas escolhas.

Não espere pelas condições ideais

Se você quer construir uma bela carreira no mundo corporativo, comece sendo lúcido e consciente sobre a seguinte questão: não haverá condições ideais! Sempre digo que uma empresa é uma amostra estatística da sociedade, colocada sobre pressão. Assim, todas as idiossincrasias que encontramos na sociedade, todos os tipos de caráter, personalidade e comportamentos, podem ser esperados – e como estão sobre pressão, na maioria das vezes, não apresentarão sua melhor face.

Isso complica ainda mais o já complexo universo de relações humanas, pelas particularidades da competição exponencial à qual somos submetidos.

Para manter-se motivado e emocionalmente estável é fundamental parar de esperar por condições ideais, elas raramente existem e quando estão presentes é apenas por tempo muito limitado. Temos que aprender a manter o equilíbrio, o discernimento e senso crítico em meio ao caos, à fogueira das vaidades e todas as outras demandas interpessoais envolvidas no relacionamento com superiores, pares e equipes.

Ser otimista é bom; ser ingênuo, não! Comece a analisar as coisas sob a ótica das repercussões. Pergunte-se:

1- Se eu agir agora o que acontecerá? Qual a tendência? Quais as repercussões?
2- Se eu esperar um pouco mais para agir, o que acontecerá? Quais as tendências? Quais as repercussões.

No dia a dia da profissão muitas coisas às quais reagimos imediatamente, seriam naturalmente resolvidas em seu curso normal. As tensões seriam dissipadas e o desgaste seria menor. Nem sempre agir e reagir imediatamente é a melhor opção! Em contrapartida, outras situações irão se agravar se não agirmos imediatamente. Nestes casos, esperar não é nem um pouco sensato. Claro que é preciso perspicácia, bom senso e senso crítico para saber a diferença entre as estratégias A e B.

E você conhece algo que valorize mais o currículo que perspicácia, bom senso e senso crítico? Neste momento existe algo que precisa ser feito, uma série de obstáculos e pessoas que se interpõe entre a sua ação e a solução necessária… O quadro é: não existem as condições ideais para agir! Não espere pelas condições ideais. Comece com o que você tem.

Vença uma etapa de cada vez e, à medida que surgirem os conflitos interpessoais inerentes a “mexer” em áreas comuns, lembre-se das duas perguntas citadas anteriormente. Continue fazendo o que deve ser feito e administrando os “ônus” de trabalhar com pessoas sobre pressão, muitas vezes, confusas, oponentes e vaidosas. Cuidando sempre para não vir a compor este mesmo quadro.

Carlos Hilsdorf
Economista, pós-graduado em Marketing pela FGV, consultor e pesquisador do comportamento humano. Considerado um dos melhores palestrantes do Brasil na atualidade. Palestrante do Congresso Mundial de Administração (Alemanha) e do Fórum Internacional de Administração (México). Autor do best seller Atitudes Vencedoras, apontado como uma das 5 melhores obras do gênero, e do sucesso 51 Atitudes Essenciais para Vencer na Vida e na Carreira. Referência nacional em desenvolvimento humano.

O discurso de Steve Jobs em Stanford

O legado de Steve Jobs vai além da Apple, da Pixar, da criação do computador pessoal e dos produtos que ele ajudou a desenvolver. Famoso pela oratória, pela capacidade de síntese de ideias e pelo carisma em suas apresentações, Jobs deixa ainda uma coleção de afirmações polêmicas, frases visionárias e pensamentos que ajudaram a definir os rumos da tecnologia nos últimos anos. Confira os principais trechos de seu famoso discurso na formatura de uma turma da Universidade de Stanford, nos Estados Unidos, em 2005:

“Às vezes a vida te bate com um tijolo na cabeça. Não perca a fé. Estou convencido de que a única coisa que me fez continuar foi que eu amava o que eu fazia. Você precisa encontrar o que você ama. E isso vale para o seu trabalho e para seus amores. Seu trabalho irá tomar uma grande parte da sua vida e o único meio de ficar satisfeito é fazer o que você acredita ser um grande trabalho. E o único meio de se fazer um grande trabalho é amando o que você faz. Caso você ainda não tenha encontrado [o que gosta de fazer], continue procurando. Não pare. Do mesmo modo como todos os problemas do coração, você saberá quando encontrar. E, como em qualquer relacionamento longo, só fica melhor e melhor ao longo dos anos. Por isso, continue procurando até encontrar, não pare.”

Continue lendo

Persistência: O cortador de pedras

Olá amigos! Confiram esta breve e linda mensagem sobre a persistência:

cortador de pedras

“Quando nada parece ajudar, eu vou e olho o cortador de pedras martelando sua rocha talvez cem vezes sem que nem uma só rachadura apareça. No entanto, na centésima primeira martelada, a pedra se abre em duas e eu sei que não foi aquela martelada a que conseguiu, mas todas as que vieram antes.” (Jacob Riis)

Entrevista para Portal Arca Universal

palestrante Carlos Hilsdorf

Com um vasto currículo como palestrante no Brasil e em outros países, como Alemanha e México, Carlos Hildorf é especialista em tudo que está ligado a atitudes no ambiente de trabalho e relacionamentos. Em conversa com o Portal Arca Universal, o profissional dá dicas bastante interessantes de como agir.

Confira a entrevista a seguir:

Continue lendo

Como você encara o trabalho? Tripalium x Póiesis

tripalium poiesis trabalho

O que torna as coisas especiais na vida é a maneira como as fazemos.

O significado especial que concedemos ao trabalho é a maior fonte de motivação para realizá-lo bem. Por isso, a importância de vivermos apaixonadamente, com entusiasmo e alegria.

Acontece que no dia a dia somos submetidos a uma série de estímulos contraproducentes ao bom desempenho das nossas funções. Estes estímulos vêm do comportamento de outras pessoas, das nossas crenças e ilusões e de fatores culturais tão arraigados que os incorporamos, reproduzimos e nem nos damos conta…

Continue lendo